2º ETA - Esquadrão Pastor

 

Os Esquadrões de Transporte Aéreo foram criados em 12 de maio de 1969, pela Portaria R012/GM3, com o objetivo de descentralizar as operações do Comando de Transporte Aéreo (COMTA) e realizar missões de transporte aeroterrestre, logístico, lançamento de cargas, evacuação aeromédica, humanitárias e de socorro a vítimas em casos de desastres naturais, atuando subordinados diretamente a cada Comando de Zona Aérea (COMZAE) onde estavam baseados. A partir de 1986, as Zonas Aéreas foram redenominadas Comandos Aéreos Regionais (COMAR).

 

Sediado na Base Aérea de Recife, em Pernambuco, o Segundo Esquadrão de Transporte Aéreo (2º ETA), o Esquadrão Pastor, está subordinado diretamente ao II COMAR, realizando suas missões na Região Nordeste do Brasil, compreendendo os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Fernando de Noronha. O símbolo do 2º ETA é o cachorro-piloto Mutley, personagem de desenhos animados da TV, por simbolizar a fidelidade, a tenacidade, a coragem e a perseverança em cumprir as suas missões. O seu lema é "Dois é bom".

 

Com o objetivo de promover o incremento da eficiência administrativa e maior racionalidade da estrutura organizacional, em dezembro de 2016 o Comando da Aeronáutica extinguiu o Comando-Geral de Operações Aéreas (COMGAR), o Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (COMDABRA), as quatro Forças Aéreas (I FAe, II FAe, III FAe e V FAe) e os Comandos Aéreos Regionais (I COMAR, II COMAR, III COMAR, IV COMAR, V COMAR, VI COMAR e VII COMAR). Nesse processo de reestruturação, o COMGAR foi substituído pelo Comando de Preparo (COMPREP), o COMDABRA pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e as Bases Aéreas foram transformadas em Alas, mantendo sob sua subordinação as Unidades Aéreas sediadas em cada uma delas. Assim, a Base Aérea de Recife se tornou a Ala 15, onde está sediado o 2º ETA Esquadrão Pastor.

 

Aeronaves

 

Com a retirada de serviço dos Douglas C-47 Dakota em 1975, o Esquadrão Pastor começou a receber os Embraer C-95 Bandeirante. Os modelos C-95A, mais modernos e com novos equipamentos, chegaram em meados dos anos 80. Em 2009 os C-95A foram substituídos pelos C-95B, mais modernos. O primeiro Embraer C-97 Brasília foi recebido em 2008, aumentando a capacidade operacional do Esquadrão Pastor. Em 2009 chegaram os primeiros Cessna C-98A Grand Caravan, com aviônicos mais modernos. Em 2013 o Esquadrão Pastor começou a receber os Bandeirantes modernizados, na versão C-95BM.

 

Os Embraer C-95BM Bandeirante contam com melhorias na parte estrutural e nos sistemas de refrigeração, mecânico e hidráulico, além de modernos sistemas de navegação e comunicação. Estão equipados com duas turbinas Pratt & Whitney PT-6A-34 com 750 shp cada, com velocidade máxima de 452 km/h e autonomia de 1.900 km, peso vazio de 3.400 kg e peso máximo de decolagem de 5.600 kg. O comprimento é de 15,33 metros e a envergadura de 14,22 metros.

 

O Embraer C-97 Brasília está equipado com duas turbinas Pratt & Whitney PW-118 com 1.850 shp cada, tem velocidade máxima de 556 km/h e autonomia de 1.750 km com 30 passageiros, peso vazio de 7.580 kg e peso máximo de decolagem de 11.500 kg. O comprimento é de 20,02 metros e a envergadura de 19,78 metros.

 

O Cessna C-98A Grand Caravan está equipado com uma turbina Pratt & Whitney PT-6A-114A com 675 shp, tem velocidade máxima de 341 km/h e autonomia de 2.000 km, peso vazio de 1.748 kg e peso máximo de decolagem de 3.630 kg. O comprimento é de 10,72 metros e a envergadura de 15,88 metros.

 

Fonte: SPOTTER / CECOMSAER

 

RETORNAR